Secretaria municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Industria e Comércio, promove importante reunião com a COOPERSUL – Cooperativa da Agricultura Familiar do Noroeste do Paraná, de Cruzeiro do Sul – PR

A Secretaria municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Industria e Comércio, promoveu importante reunião com a COOPERSUL – Cooperativa da Agricultura Familiar do Noroeste do Paraná, de Cruzeiro do Sul – PR, nesta quinta-feira (01), no Centro Comunitário da Vila Rural Itio Kondo, com a participação do Sr.° Leandro – Presidente da Cooperativa; Sr° Gerson – Técnico da Cooperativa; Sr° Roberto – Vice-Prefeito; Sr° José Rivaldo – Agente de Desenvolvimento; Sr.° Onishi – Secretário Municipal da Agricultura; e Arno Neto – Diretor de Meio Ambiente. O objetivo da Prefeitura Municipal de Nova Londrina através dessa parceria é o incentivo à hortifruticultura que é uma das propostas de governo municipal para as comunidades de pequenos agricultores familiares, buscar parcerias e o fortalecimento dos pequenos agricultores familiares e suas organizações, intensificar os sistemas de produção, visando a melhoria de renda e sustentabilidade das propriedades rurais no município.
Segundo Presidente da Coopersul, de imediato teria demanda de produção em especial nas Vilas Rurais, viabilidade econômica nas seguintes culturas (tomate, pepino e pimentão) no sistema de cultivo protegido, ou seja, em estufas com controle de temperatura e umidade. Como exemplo citou a cultura de tomate, com uma estufa de aproximadamente 180,0 m2 dimensões (6,0 x 30,0) – modelo Bandeirantes, custo de (R$ 13.000,00), teria uma produção por safra de aproximadamente 70 caixas de 23,0 kg (com possibilidades de até três safras anuais), com custo de produção de R$ 18,00/cx, e o preço da caixa de tomate hoje em torno de R$ 78,00. (Necessário ter uma produção mínima de uma carga de um caminhão, ou seja, aproximadamente 650 caixas e um grupo de 10 a 15 produtores).
Na fruticultura, as condições edafoclimáticas do município, permitem o cultivo de diversas espécies de frutas comerciais, com grande potencial e opções de diversificação nos sistemas produtivos das pequenas propriedades familiares. Como sabemos que a maioria das espécies frutícolas são perenes que demandam de 2 a 2,5 anos para iniciar a produção e são sazonais, ou seja, é produzido em certas estações ou épocas no ano. Assim esta atividade deve ser bem planejada e estruturada, ter um bom volume de produção, formação de organizações associativas de pequenos produtores para formação da cadeia produtiva de frutas, principalmente a criação de marcas e garantias de qualidade.
Na piscicultura também na região é considerada estratégica, tanto em disponibilidade de água quanto o clima favorável para atividade, também como na atividade de fruticultura demandam um estudo criterioso de cada propriedade em potencial.

Assessoria de Imprensa
error: Conteúdo protegido !!